Área do Cliente

Clique aqui e acompanhe de perto os processos que estão sendo gerenciados pelo Diamantino Advogados Associados.

Caso ainda não tenha sua senha, fale conosco.

 

Decisão do STF retira ICMS da base de cálculo do PIS e da COFINS
Diamantino Advogados Associados
16.03.2017

O Plenário do Supremo Tribunal Federal, a partir do julgamento do Recurso Extraordinário nº 574.706/PR na sessão do dia 15/03, considerou inconstitucional a inclusão do Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) na base de cálculo das contribuições para o Programa de Integração Social (PIS) e a Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (COFINS).

Os Ministros Celso de Mello, Marco Aurélio Mello, Luiz Fux, Rosa Weber, Ricardo Lewandowski  acompanharam a Relatora Cármen Lúcia, atual Presidente do STF, no entendimento que o ICMS não compõe o faturamento/receita bruta das empresas e que, por isso, não pode ser incluído na base de cálculo das contribuições.

Votando em sentido contrário, o Ministro Gilmar Mendes disse que eventual redução da base de cálculo pelo STF seria corrigida pelo Governo por meio do aumento da alíquota dessas contribuições, afirmando, ainda, que o esvaziamento da base de cálculo traria impactos negativos sobre o financiamento da seguridade social e causaria a ruptura do próprio sistema tributário brasileiro.

Cálculo do PIS/COFINS após a decisão

Levando-se em consideração que o ICMS é um imposto calculado “por dentro” (isto é, ele integra o preço da mercadoria), a redução do débito de PIS/COFINS será igual à alíquota do ICMS, ou seja, se a alíquota desse imposto for de 18%, então a redução do débito de PIS/COFINS será da ordem dos 18%.

É o que se pode verificar nos exemplos a seguir:

PIS/COFINS NÃO CUMULATIVO

PIS/COFINS CUMULATIVO

Antes da decisão do STF

Após a decisão do STF

Antes da decisão do STF

Após a decisão do STF

Valor da Nota Fiscal: R$ 100,00

Valor da Nota Fiscal: R$ 100,00

 

Valor da Nota Fiscal: R$ 100,00

 

 

Valor da Nota Fiscal: R$ 100,00

 

Valor do Produto s/ ICMS: R$ 82,00

Valor do Produto s/ ICMS: R$ 82,00

 

Valor do Produto s/ ICMS: R$ 82,00

 

 

Valor do Produto s/ ICMS: R$ 82,00

 

ICMS (18%): R$ 18,00

ICMS (18%): R$ 18,00

 

ICMS (18%): R$ 18,00

 

 

ICMS (18%): R$ 18,00

 

PIS/COFINS (9,25%): R$ 9,25

PIS/COFINS (9,25%): R$ 7,585

 

PIS/COFINS (3,65%): R$ 3,65

 

PIS/COFINS (3,65%): R$ 2,993

No exemplo, a economia é de R$ 1,665 (redução de 18% do débito de PIS/COFINS)

No exemplo, a economia é de R$ 0,657 (redução de 18% do débito de PIS/COFINS)

 
A decisão proferida ainda não transitou em julgado, pois ainda caberá à União ingressar com Embargos de Declaração, onde, nessa oportunidade, terá também a oportunidade de requerer a modulação (isto é, a sua limitação temporal) dos efeitos da decisão do Supremo, o que não foi formalmente requerido até o presente momento.

Em nota, a Fazenda Nacional informou que ingressará com o recurso de embargos de declaração, para requerer que esta decisão tenha efeitos a partir de 2018.

Considerando que o valor discutido judicialmente em torno desta tese gira em torno de R$ 250,3 bilhões e para evitar maiores danos ao Fisco, aexpectativa é de que o STF reconheça o direito de estorno do valor pago indevidamente apenas dos contribuintes que ajuizaram demandas antes da conclusão do julgamento do Recurso em questão.

A Equipe Tributária do Diamantino Advogados permanece à disposição para maiores esclarecimentos sobre as consequências trazidas com este entendimento do STF.


Índice de notícias :: Tributário

Filial de entidade beneficente não tem imunidade tributária automática
04.12.2017

Portaria que cria atalho para cobrar dívidas é ilegal
04.12.2017

Contribuintes deverão declarar valores em espécie
22.11.2017

Receita: trabalho terceirizado gera crédito de PIS/Cofins
17.11.2017

Prazo para adesão ao Programa Especial de Regularização Tributária é prorrogado novamente
31.10.2017

Principais alterações do PERT trazidas pelo projeto de conversão em lei
16.10.2017

NOVAS OPORTUNIDADES DE ADESÃO AOS PROGRAMAS DE PARCELAMENTO DE DÉBITOS TRIBUTÁRIOS FEDERAIS (PRR E PERT)
29.09.2017

Participação - Congresso de Direito Tributário em Porto Alegre
14.09.2017

Nova oportunidade de adesão ao Programa Especial de Regularização Tributária (PERT)
31.08.2017

Governo publica Medida Provisória que renegocia os débitos do Funrural
02.08.2017


Mostrando 1 - 10 de 128
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10

 

© Copyright 2002-2015. Diamantino Advogados Associados. Todos os direitos reservados.

Criação de sites